sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Você sabe que eu amo você, Waltinho Sieczko ? 08/12/2016

São Paulo, Hospital 9 de Julho, do dia 08/12/2016

Meu irmão, como eu te amo!
Que bom  que eu disse isso muitas vezes pra você... e ainda parece que não foi o suficiente, porque amor de irmão é amor de Deus, é amor infinito!

Você está em meu coração!

E vou te amar pra sempre!



08 de dezembro de 2017 - Nossa Senhora da Conceição, Walter Sieczko e meu sonho!

Então... essa semana foi complicada, meu irmão... uma avalanche de coisas que apareceram para resolver e eu tenho tanto pra te contar.

Contar, contar, contar, não, né, porque de tudo você já sabe - anda comigo, sempre no meu coração, é claro que você sabe... Mas talvez eu precise repetir, para mim mesma, colocar as coisas em ordem, enumerar os fatos. Como o tempo não para, Waltinho, mas o meu amor e a minha saudade frente sua ausência não cessa... Não tem como cessar.

Queria contar sobre a viagem de férias, sobre tentar esquecer sem conseguir, sorrir, sem demonstrar saudade, falar sobre a tonelada de comida que passou na minha frente,  eu comi... Mas nada disso tem importância sobre o que vou contar do sonho que tive essa noite com você:

Estávamos todos nós, na casa da tia Armida, conversando, TV ligada, aquele burburinho familiar que sempre orquestra as minhas memórias; o papagaio de vez em quando cantando ilariê, ou assoviando o hino do flamengo, som de bola batendo no chão, cheiro de comida gostosa vindo da cozinha, tio Guzzo comendo o salaminho italiano preferido dele e as tias tomando cerveja, nossa mãe brincando de desenhar com as crianças... e eu pensando em você.

Daí, do nada aparece uma senhora velhinha, que eu não consigo lembrar quem era, talvez seja nossa avó, não consigo ater-me em mais detalhes, porque logo após avistar essa senhorinha, eu vejo você. E você vem andando, ainda um pouco magro, mas bem disposto, com aquela cara de moleque arteiro que queimou o próprio rosto brincando quando pequeno de pinga-pinga na fogueira de São João. Toda família continua fazendo o que estava fazendo, parecia que só eu te via, mas estava tão nítido, tão perto, que sentia o cheirinho do sabonete Phebo que você usava. Era muito real pra ser imaginação. Então eu te olhei, e você também me olhou, sorriu sem mostrar os dentes e mexeu a cabeça assim, de lado, pra fazer cara de cachorrinho que fez xixi no tapete da sala, sabe?

Aí eu me levantei de onde estava, segui em sua direção e a sua presença mais se agigantava... nossa família, os sons da casa, das nossas pessoas falando... e eu então falei:

- Tia Lamia, olha só o Waltinho, ele está aqui!

Mas nessa hora o som emudeceu, e como num filme nossa família congelou igual aos seriados de TV. Por uma fração de segundos, meus tímpanos se fecharam, era como se eu tivesse dado um mergulho profundo em uma piscina gigantesca... o som se torna uma luz oca, fosca, depois um brilho e então, volta o som das nossas palavras e você me responde:

- Claro que eu estou aqui, não está me vendo?

A minha alegria é tamanha, olho ao redor e todos continuam congelados no tempo, não vejo a senhorinha que te acompanhou até a sala... mas eu estava tão contente, que eu queria saber se você era mesmo "de verdade".

Então te perguntei - é você mesmo, meu irmão? É você... ? tem certeza??? E você fez novamente aquela cara de traquina e sem paciência, e respondeu: "porra, não tá vendo que eu tô aqui?" Sou eu, eu sempre estou por aqui.

- Eu posso te abraçar?
- Claro que pode.
- Posso te beijar? Aí você deu de ombros e sorriu.

Então, meu irmão depois disso, eu senti uma felicidade tão grande que eu não queria que aqueles momentos acabassem. Se eu pudesse, teria congelado, eu você e nossa família ali pra sempre naquele sonho. Naquele instante a dor cessou, a paz, e um alívio entorpecente tomou conta daquele abraço. E eu te abracei, Waltinho. Te abracei tanto, tanto, tanto, te apertei tanto, que até no meu sonho eu te irritei de tanto amor! Eu não sabia se eu ria ou se eu chorava, mas você estava ali, e isso bastava, bastava, meu irmão.

Ficamos bastante tempo ali, conversamos muito, mas não consigo lembrar sobre o que falamos. só lembro do seu abraço quentinho, e que eu apertava você com todas as minhas forças, como se isso fosse capaz de eternizar ou concretizar aquele sonho, não sei... Por que os sonhos são sempre tão confusos? Aiiii... ali eu pude respirar sem que meu peito doesse, como eu agradeço, como eu agradeço!

Ao fim de um tempo, a senhorinha voltou não sei de onde e olhou pra você, mas nada disse... mas eu sabia que era a hora de você voltar, e de eu acordar com a esperança de menos dor, com a certeza que você estava bem, e que eu teria que aprender a conviver com essa saudade, sem deixar que ela me mate antes da minha hora.

Acordei chorando, claaaaaro, mas era uma coisa boa e estranha ao mesmo tempo, tem coisas que minhas palavras não conseguem explicar. Eu só sei que agradecia, rezava, chorava e ria ao mesmo tempo, ainda com o calor da sua presença. Ah, meu irmão, quantas saudades eu tenho.

Abri meus olhos, rezei e agradeci novamente a Deus, a essa senhorinha que apesar de não ter falado comigo, tinha um olhar de bondade e paz. 

Lembrei então que hoje é dia 08 de dezembro de 2017. Há exatamente um ano atrás, por volta dessa hora (21:00h), você voltava da cirurgia ineficaz que ao invés de lhe dar sobrevida, foi o início de uma batalha que tirou você da nossa família.

Mas hoje também é dia de Nossa Senhora da Conceição, e foi Nossa Senhora que te recebeu junto a nossa família espiritual. Antes da sua cirurgia, falamos sobre esse dia no ano de 2015, que você estava no morro da Conceição para celebrar o dia da Mãe Santíssima de Jesus.

Tenho um vídeo nosso, antes de você entrar para a sala de cirurgia, que o guardo como um tesouro, porque pra mim é um tesouro de valor incalculável. Sempre que sinto aquela saudade que não me deixa respirar, eu vejo esse vídeo. Ali, eu, sua irmãzinha, te dizia o quanto eu te amava. E eu te amo, Waltinho!

Obrigada por me permitir esse encontro, esse sonho tão real, onde me foi possível sentir seu abraço. 

Obrigada, Senhor! Obrigada, Nossa Senhora, eu só tenho a agradecer por essa honra. Obrigada, Jeffrey King!

Eu sei que eu não estou só.



terça-feira, 21 de novembro de 2017

Sonhei com Cancão e Waltinho hoje.

Sempre que eu fico perto do meu irmão Victor, minha mãe Nina e meu sobrinho Gabriel, eu sinto uma energia grande percorrendo todo meu corpo. Eu sinto que somos mais família, somos mais fortes, somos partes de um todo que não consigo explicar com palavras. Apenas sinto uma coisa diferente, uma presença mais sentida, não sei expressar exatamente que sentimento é esse.
Me parece que quando estamos juntos, a presença do Waltinho se faz, como se fosse um complemento de nós mesmos. Pois é... Waltinho não está mais aqui fisicamente, MAS ELE ESTÁ AQUI, no nosso coração, nas nossas orações, emoções e memórias.
E ontem estivemos juntos na roda de capoeira do Victor... Claro que senti esse amor de família em cada abraço, em cada toque, em cada palavra que trocamos ontem em família. E trouxe isso comigo... A presença de vocês, sempre está em mim, no meu coração. Sonhei hoje com o Cancão e com você Waltinho. Um sonho meio sem pé nem cabeça, mas a gente riu muito... enfim, foi bacana. Acordei com meu peito transbordando de amor.  Sonhar é sempre bom!!!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Grupo de Capoeira Filhos da Raiz - Professor Transformer - Victor Hugo Araujo dos Santos


Meu irmão Victor Hugo na capoeira é o Professor Transformer. Deve ser porque ele realmente se transforma em uma máquina de rodopios do ar. A roda se abre, sente-se muita energia dentro da roda de capoeira.  Irmãzinha e mamãe estavam lá, claro, dando todo apoio para que esse projeto siga sempre em frente, com as bençãos de Deus.

 Nós, família
Obrigada, Senhor!








domingo, 19 de novembro de 2017

Novembro de 2016 ele veio se despedir da familia

Meu irmãozinho chegando ao Rio de Janeiro!!!! 
Ficamos muito contentes com essa  visita, essa oportunidade de apoio e carinho que pudemos dar a ele!!!
Waltinho, quanta saudade, meu irmão!!!!
Como meu irmão é importante na minha vida!!!! Quanto amor, quanta saudade...

As doenças da moda...

Imagem retirada da Internet

sábado, 18 de novembro de 2017

EEAR - Encontro da 149 Turma - #sieczko

Hoje tivemos o incrível prazer de participar juntamente com Tio Fausto do encontro da Turma da Escola de Especialista da Aeronáutica. Foi muito bom passar essa tarde com meu querido Tio Fausto "tio Pato", como eu o chamava quando era pequenininha. Tenho muito, muito, muuuuuitooo orgulho desse tio.
 #somossieczkos
#familiasieczko
#sieczko
Tivemos a camisa da Turma, muito boa companhia e ouvimos histórias bem interessantes da época que todos esses grandes homens eram jovens e iniciavam suas carreiras na Aeronáutica. 
Eu amo meu tio Fausto. Sempre foi um tio bacana com a gente. Ele durante muito tempo, morou longe, em lugares diferentes pela FAB, mas sempre nas férias, passávamos um tempo com ele e tia Mirna. Boas lembranças de infância. Acabei de lembrar de algumas travessuras que eu e Waltinho fizemos durante as férias, na Base Aérea de Santa Cruz, com a companhia da Mila, nossa prima, filha primogênita do tio Fausto e tia Mirna, e também oficial da Aeronáutica. Mas essas lembranças serão contadas em outras postagens, porque agora que eu lembrei, vou querer encontrar algumas fotos dessa época da nossa infância pra ilustrar as minhas melhores memórias.
Eu sei, que eu adorava quando o tio Fausto aparecia na casa da tia Armida, quando vinha resolver alguma coisa aqui no RJ, e vinha todo fardado, todo lindo e paramentado, bem alto, postura impecável de militar, e eu pedia pra ele me levar pra escola, ia toda metida com meu tio lindo e fardado do lado. Muito orgulho andar ao lado de um tio tão querido e com um caráter ímpar, como sempre foi, e tão bonito. Minhas coleguinhas na escola pública Celestino da Silva onde estudava na 5 série, ficavam olhando admiradas a boniteza do meu tio naquela farda. Era muito legal, eu me sentia muito feliz, orgulhosa e protegida por ter um tio tão alto, tão bonito na farda azul. Só tenho a agradecer pela minha família. Tenho tios e tias maravilhosos, que sempre brincavam comigo e com Waltinho, que fomos os primeiros sobrinhos aqui no Rio.
Tio Fausto é uma pessoa muito boa. Cuidou da minha mãe que era caçula de 8 irmãos e das minhas tias Armida e Lamia quando minha avó Maria Dittmann Sieczko faleceu precocemente aos 49 anos de idade. Ele também era só um rapaz... mas cuidou da família, estudou e Graças a Deus se tornou um profissional, oficial militar muito conceituado em sua área de atuação. Tenho umas fotos lindas da minha mãe Nina e da minha avó Maria em uma de suas formaturas no quartel. Coisas boas de lembrar, com certeza!!!! 
Sabe uma coisa muito boa pra contar? Imagina, que há quase 20 anos atrás, assim que entrei na empresa, tinha um engenheiro do trabalho que olhou meu sobrenome no crachá e reconheceu o SIECZKO. Disse que conhecia um amigo muito querido na época da FAB, olha só como esse mundo é pequeno (eu digo sempre que o mundo é uma azeitona...). Eng. Edson, meu colega de trabalho, foi aluno, colega e amigo até hoje do Tio Fausto!!!! 

Olha aí o amigo Edson, também oficial militar e amigo do meu tio... quer fazer desse mundo uma azeitona ainda menor???? A prima Lucia do Edson, é minha conhecida, amiga que fiz através do meu trabalho. Me diz, o mundo é ou não é uma azeitona???? Eu costumo dizer que não existem coincidências, mas que todos nós estamos conectados em um grande, imenso computador universal. 

 Foi um dia bem alegre, boa comida, boa bebida e boa companhia!!!!!
Obrigada pelo dia, tio Fausto!!!

Amo o senhor!!!!
Estaremos juntos nos próximos encontros, se Deus quiser!!!!!

Obrigada, Deus!
Obrigada pela minha família!

gnash feat. Olivia O'brien - i hate u, i love u (Legendado/Tradução)

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Estilo Felícia

Sempre fui uma irmã grudenta nos meus caçulas, bem no estilo Felícia Duff. Sou assim também com meus primos e afilhadinhos... aperto muito meus pequenos, beijo, abraço, aperto bochecha!!!! Digo o quanto eu os amo e quanto são lindos!!!! Graças a Deus eu sou assim. Que bom que eu sempre me importei em mostrar carinho, cuidado, amor, zelo, afetividade!!!! Obrigada, Senhor!
Quando Waltinho era pequeno, nossa mãe brincava muito com a gente. Acredito que por ser bem jovem, ela sempre pôde estar presente nas brincadeiras e nos momentos de lazer, sábados e domingos... Ela fazia sanduíches, ovo cozido, bolo e suco... colocava na mochila verde do exército e íamos caminhando pela Floresta da Tijuca, subíamos o Cristo Redentor... Fazíamos piquenique no Parque da Cidade, e era muito bom. Lembro que mesmo em casa, a gente brincava bastante. Minha mãe deitava no chão e eu e Waltinho brincávamos de "Cristo" - subíamos em seus joelhos (flexionados) e ficávamos apostando quem ficava mais tempo se equilibrando nos joelhos da mamãe, com os braços abertos, sem cair ao chão... É muito bom ter essa lembrança tão viva em minha memória. Isso me aquece, acalenta o meu coração e deixa uma saudade gostosa da época da infância.
Meu irmão Walter Sieczko dos Santos, meu irmãozinho lindo que eu amo tanto!!!

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Nós somos os melhores irmãos do meu mundo! Os MAIS BONITOS TAMBÉM!!!!

Nós somos os melhores irmãos do mundo... DO MEU MUNDO!!!!!
 
 Nem fazendo careta, Victor e Waltinho conseguem ficar feios....
Os dois são lindos, são os irmãos mais lindos de que tenho!!!!!

Amor maior em mim, não há!!!
Pra sempre, até depois do infinito!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Waltinho e Almoço da familia em novembro 2016

Momentos que eu nunca irei me esquecer. Lembranças que servirão de luz para meus momentos de escuridão, aconchego para os dias frios, acalento para as horas de solidão. Eu tenho as melhores memórias nossas, meu irmão!!!! Queria que o céu tivesse um orelhão, um telefone, um celular, uma rede de wifi só pra eu dizer todos os dias o quanto você me faz falta e o tanto que eu te amo!
Foram dias felizes, muito alegres que você teve conosco... nem parecia que você tinha um câncer que crescia dentro da sua barriguinha... ô meu irmão... quanta saudade... eu tinha muitas esperanças;  você era um homem forte, você queria lutar pra viver, você resistiu o máximo que você conseguiu. Tenho saudades.
Seus tios amam você. Sempre conversamos sobre você, sua lembrança seguirá viva em todos nós. Família somos todos nós!!!!

#familiasieczko
#sieczko
#somostodossieczkos
Waltinho bebendo suco verde sob a observação da mamãe!
Nossa mesa de família, nossas comidinhas feitas com muito amor!!!! Comidinhas orgânicas, sem gordura, feita com todo nosso coração!!!!  Te amamos, Waltinho!!!! Sua família ama muito você e adooooora ouvir suas histórias de PQDt.

Muito amor envolvido!!!!

Foi um dia bacana, um dia muito legal, onde tivemos a oportunidade de estarmos todos juntos!!!! Agradeço a Deus por essa oportunidade, meu irmão. É o que me acalma a alma! Recebe meu amor, meu abraço e todas as minhas orações!!!

Andreia Sieczko
Irmã do Waltinho