domingo, 19 de novembro de 2017

Novembro de 2016 ele veio se despedir da familia

Meu irmãozinho chegando ao Rio de Janeiro!!!! 
Ficamos muito contentes com essa  visita, essa oportunidade de apoio e carinho que pudemos dar a ele!!!
Waltinho, quanta saudade, meu irmão!!!!
Como meu irmão é importante na minha vida!!!! Quanto amor, quanta saudade...

As doenças da moda...

Imagem retirada da Internet

sábado, 18 de novembro de 2017

EEAR - Encontro da 149 Turma - #sieczko

Hoje tivemos o incrível prazer de participar juntamente com Tio Fausto do encontro da Turma da Escola de Especialista da Aeronáutica. Foi muito bom passar essa tarde com meu querido Tio Fausto "tio Pato", como eu o chamava quando era pequenininha. Tenho muito, muito, muuuuuitooo orgulho desse tio.
 #somossieczkos
#familiasieczko
#sieczko
Tivemos a camisa da Turma, muito boa companhia e ouvimos histórias bem interessantes da época que todos esses grandes homens eram jovens e iniciavam suas carreiras na Aeronáutica. 
Eu amo meu tio Fausto. Sempre foi um tio bacana com a gente. Ele durante muito tempo, morou longe, em lugares diferentes pela FAB, mas sempre nas férias, passávamos um tempo com ele e tia Mirna. Boas lembranças de infância. Acabei de lembrar de algumas travessuras que eu e Waltinho fizemos durante as férias, na Base Aérea de Santa Cruz, com a companhia da Mila, nossa prima, filha primogênita do tio Fausto e tia Mirna, e também oficial da Aeronáutica. Mas essas lembranças serão contadas em outras postagens, porque agora que eu lembrei, vou querer encontrar algumas fotos dessa época da nossa infância pra ilustrar as minhas melhores memórias.
Eu sei, que eu adorava quando o tio Fausto aparecia na casa da tia Armida, quando vinha resolver alguma coisa aqui no RJ, e vinha todo fardado, todo lindo e paramentado, bem alto, postura impecável de militar, e eu pedia pra ele me levar pra escola, ia toda metida com meu tio lindo e fardado do lado. Muito orgulho andar ao lado de um tio tão querido e com um caráter ímpar, como sempre foi, e tão bonito. Minhas coleguinhas na escola pública Celestino da Silva onde estudava na 5 série, ficavam olhando admiradas a boniteza do meu tio naquela farda. Era muito legal, eu me sentia muito feliz, orgulhosa e protegida por ter um tio tão alto, tão bonito na farda azul. Só tenho a agradecer pela minha família. Tenho tios e tias maravilhosos, que sempre brincavam comigo e com Waltinho, que fomos os primeiros sobrinhos aqui no Rio.
Tio Fausto é uma pessoa muito boa. Cuidou da minha mãe que era caçula de 8 irmãos e das minhas tias Armida e Lamia quando minha avó Maria Dittmann Sieczko faleceu precocemente aos 49 anos de idade. Ele também era só um rapaz... mas cuidou da família, estudou e Graças a Deus se tornou um profissional, oficial militar muito conceituado em sua área de atuação. Tenho umas fotos lindas da minha mãe Nina e da minha avó Maria em uma de suas formaturas no quartel. Coisas boas de lembrar, com certeza!!!! 
Sabe uma coisa muito boa pra contar? Imagina, que há quase 20 anos atrás, assim que entrei na empresa, tinha um engenheiro do trabalho que olhou meu sobrenome no crachá e reconheceu o SIECZKO. Disse que conhecia um amigo muito querido na época da FAB, olha só como esse mundo é pequeno (eu digo sempre que o mundo é uma azeitona...). Eng. Edson, meu colega de trabalho, foi aluno, colega e amigo até hoje do Tio Fausto!!!! 

Olha aí o amigo Edson, também oficial militar e amigo do meu tio... quer fazer desse mundo uma azeitona ainda menor???? A prima Lucia do Edson, é minha conhecida, amiga que fiz através do meu trabalho. Me diz, o mundo é ou não é uma azeitona???? Eu costumo dizer que não existem coincidências, mas que todos nós estamos conectados em um grande, imenso computador universal. 

 Foi um dia bem alegre, boa comida, boa bebida e boa companhia!!!!!
Obrigada pelo dia, tio Fausto!!!

Amo o senhor!!!!
Estaremos juntos nos próximos encontros, se Deus quiser!!!!!

Obrigada, Deus!
Obrigada pela minha família!

gnash feat. Olivia O'brien - i hate u, i love u (Legendado/Tradução)

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Estilo Felícia

Sempre fui uma irmã grudenta nos meus caçulas, bem no estilo Felícia Duff. Sou assim também com meus primos e afilhadinhos... aperto muito meus pequenos, beijo, abraço, aperto bochecha!!!! Digo o quanto eu os amo e quanto são lindos!!!! Graças a Deus eu sou assim. Que bom que eu sempre me importei em mostrar carinho, cuidado, amor, zelo, afetividade!!!! Obrigada, Senhor!
Quando Waltinho era pequeno, nossa mãe brincava muito com a gente. Acredito que por ser bem jovem, ela sempre pôde estar presente nas brincadeiras e nos momentos de lazer, sábados e domingos... Ela fazia sanduíches, ovo cozido, bolo e suco... colocava na mochila verde do exército e íamos caminhando pela Floresta da Tijuca, subíamos o Cristo Redentor... Fazíamos piquenique no Parque da Cidade, e era muito bom. Lembro que mesmo em casa, a gente brincava bastante. Minha mãe deitava no chão e eu e Waltinho brincávamos de "Cristo" - subíamos em seus joelhos (flexionados) e ficávamos apostando quem ficava mais tempo se equilibrando nos joelhos da mamãe, com os braços abertos, sem cair ao chão... É muito bom ter essa lembrança tão viva em minha memória. Isso me aquece, acalenta o meu coração e deixa uma saudade gostosa da época da infância.
Meu irmão Walter Sieczko dos Santos, meu irmãozinho lindo que eu amo tanto!!!

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Nós somos os melhores irmãos do meu mundo! Os MAIS BONITOS TAMBÉM!!!!

Nós somos os melhores irmãos do mundo... DO MEU MUNDO!!!!!
 
 Nem fazendo careta, Victor e Waltinho conseguem ficar feios....
Os dois são lindos, são os irmãos mais lindos de que tenho!!!!!

Amor maior em mim, não há!!!
Pra sempre, até depois do infinito!

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Waltinho e Almoço da familia em novembro 2016

Momentos que eu nunca irei me esquecer. Lembranças que servirão de luz para meus momentos de escuridão, aconchego para os dias frios, acalento para as horas de solidão. Eu tenho as melhores memórias nossas, meu irmão!!!! Queria que o céu tivesse um orelhão, um telefone, um celular, uma rede de wifi só pra eu dizer todos os dias o quanto você me faz falta e o tanto que eu te amo!
Foram dias felizes, muito alegres que você teve conosco... nem parecia que você tinha um câncer que crescia dentro da sua barriguinha... ô meu irmão... quanta saudade... eu tinha muitas esperanças;  você era um homem forte, você queria lutar pra viver, você resistiu o máximo que você conseguiu. Tenho saudades.
Seus tios amam você. Sempre conversamos sobre você, sua lembrança seguirá viva em todos nós. Família somos todos nós!!!!

#familiasieczko
#sieczko
#somostodossieczkos
Waltinho bebendo suco verde sob a observação da mamãe!
Nossa mesa de família, nossas comidinhas feitas com muito amor!!!! Comidinhas orgânicas, sem gordura, feita com todo nosso coração!!!!  Te amamos, Waltinho!!!! Sua família ama muito você e adooooora ouvir suas histórias de PQDt.

Muito amor envolvido!!!!

Foi um dia bacana, um dia muito legal, onde tivemos a oportunidade de estarmos todos juntos!!!! Agradeço a Deus por essa oportunidade, meu irmão. É o que me acalma a alma! Recebe meu amor, meu abraço e todas as minhas orações!!!

Andreia Sieczko
Irmã do Waltinho

Waltinho - 15 de novembro de 2016


Meu irmãozinho.
Quanta saudade, como dói essa ausência.
Como eu te amo.
Saudades das nossas conversas, das ligações diárias, das nossas piadas e brincadeiras... Como eu te amo, meu irmão. Esse amor é sem fim... eu sei que um dia, quando eu te reencontrar, essa saudade vai acabar, mas o meu amor por você, não acabará nunca, jamais, porque amor de verdade, é ETERNO!


Walter Waltinho Sieczko dos Santos
Andreia Sieczko dos Santos

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Focando nos estudos...

Tendo que retornar aos estudos jurídicos...
Mas dessa vez por uma razão pra lá de importante.
Motivação não falta!

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Ninguém deveria enterrar quem viu nascer.

Ontem, meu irmão, fez 1 ano que eu estive com você, ainda com alguma "saúde" se é que posso falar em saúde. Ontem fez 1 ano que você esteve com sua família, aqui, em minha casa, no nosso Rio de Janeiro, onde seus tios e amigos puderam te abraçar, onde eu e nossa mãe pudemos cuidar de você, cozinhar pra você e te dar um beijo de boa noite na hora de dormir. Ontem eu me senti tão só. Ontem foi um dia tão difícil pra mim, que não consegui parar de pensar em você, mesmo fazendo outras atividades. Pensei em tanta coisa que agora me atrapalho em tentar colocá-las em ordem... são tantos sentimentos, tantas lembranças, saudades, tudo que vivemos e passamos em toda nossa vida, meu irmão. Não, eu não estou bem, acredito que NUNCA MAIS ficarei bem, porque fui roubada, fui dilacerada, estou mutilada para o resto dessa vida. Me falta um pedaço, Waltinho. Ontem estava numa estrada, dirigindo durante quase 3 horas, e já estava bem de noite... estrada escura, mas até que bem sinalizada. E eu me senti tão só, tão solitária, tão perdida no mundo, sem horizonte, sem esperança, tão órfã de você. Agora eu só tenho nossa mãe e o Victor. Não tenho mais você, Waltinho, que mesmo tendo escolhido sua vida e morando longe, eu sabia que eu tinha você. Eu sabia que você fazia parte da minha história, eu sabia que tinha um irmão que dividiu comigo minha infância, minha juventude, minha vida adulta. E agora tenho o desespero, a saudade, e a sua falta constante em minha vida. Ontem eu senti muito mais que saudade, muito mais que tristeza, eu senti um vazio enorme dentro de mim, ao meu redor, um vazio imenso, o mundo inteiro estava envolta de uma pessoa que se sentia sozinha no mundo. Ninguém deveria enterrar quem viu nascer. Ninguém nesse mundo merece passar por uma experiência dessas, porque é inimaginável o sentimento que aperta no peito. Só quem perdeu alguém a quem ama muito, verdadeiramente e mais que a si mesmo, sabe a dor dessa perda. Só quem sofre mais que eu é nossa mãe, que te carregou na barriga por 9 meses, e no colo por alguns anos. Que te alimentou, te cuidou... Só uma mãe que perdeu um filho, pode entender a dor de uma irmã que perdeu seu caçula, que o recebeu em sua vida ainda criança, e que cresceu, dia após dia do lado desse irmão. Depois do amor entre pais e filhos, o maior amor é de irmão e irmã. Um amor que nasceu da união dos pais;   filhos que nasceram da mesma fôrma, e foram criados juntos, dormindo, acordando e aprendendo o que é a vida. Aprenderam a andar juntos, a correr, a brincar, a brigar, a se defender e se proteger dos perigos da vida. Amor de irmãos, isso eu tive, tenho e posso garantir que é o meu maior tesouro. Nada na minha vida é mais importante que esse amor, principalmente, porque eu não tenho filhos, eu só tenho irmãos, dois irmãos e um deles, já não está mais aqui. Então eu me sinto sem chão, sem horizonte, falta realmente uma metade grande de mim. Não precisava estar comigo 24 horas, não precisava... só precisava saber que se eu precisasse, poderia contar pra você o que eu sentia, meus erros, meus segredos, as minhas merdas... e que você me escutaria, diria qualquer coisa que me fizesse rir, e agora, meu primeiro amigo, meu irmão, minha maior herança se foi antes de mim. Ninguém deveria enterrar quem viu nascer, repito: ninguém deveria enterrar quem viu nascer! E ontem fez 1 ano que estivemos juntos, eu, você, nossa mãe, nosso irmão, nossos tios e os amigos que fizemos juntos em nossa infância. Doeu, dói e vai doer pra sempre, porque eu não vou ter como recomeçar sem você, vou ter que aprender a viver com esse buraco que ficou oco, com esse eco de saudade que jamais será preenchido. Estou me sentindo órfã de irmão, estou me sentindo solitária e preciso mais que nunca da presença da nossa mãe e da nossa família pra me sentir menos amputada... Ainda estou esperando os filhos da puta que falam que o tempo ameniza a dor... Cadê esse povo que só fala besteira? Eles não amam de verdade, Waltinho, eles não tem a amizade, o amor e a cumplicidade de irmãos que sempre tivemos. Estou me tornando intolerante com quem não entende a minha dor. Não preciso que me adulem, não preciso que me peguem no colo... Só preciso que respeitem a porra da saudade que eu sinto de você. Me deixem quieta, me deixem com meus pensamentos... Não estou pedindo licença pra ninguém porque essa dor é minha e vou senti-la até morrer. Eu não desejo nem para os meus piores inimigos (se é que eles sabem o que é amar alguém) sentir o desalento dessa saudade que vai cortando dia-a-dia, devagar como um conta-gotas, a alma de quem ama. Tem dias que é ruim... Tem dias que é pior ainda, e ontem foi um dia desses... hoje também.

 Walter Sieczko dos Santos
Andreia Sieczko dos Santos

Para sempre, irmãos!

Muito difícil... mas vou tentando...


domingo, 12 de novembro de 2017

E a vida segue

E o que seria da minha vida, se eu não tivesse as minhas memórias, meus erros, meus aprendizados? O que seria de mim, se não fosse minha família, ter uma mãe que já nasceu guerreando com o mundo? O que poderia ser minha vida se eu não tivesse minha força de vontade, minha fé interior, capaz de me levantar a cada tombo da vida? Eu não sei o que Deus quer de mim... eu me esqueci dos planos que eu deveria executar nesta existência. Esqueci ao nascer,  dos compromissos assumidos na espiritualidade. Eu conto com a companhia inseparável do Jeffrey, meu Anjo Protetor, que não tem um dia de descanso, que está sempre comigo e vela meu sono. Meu guibor, meu soldado alado que Deus enviou pra mim. Ele é quem sabe meus passos, e eu aprendi a deixar-me ser guiada por ele. Todas as vezes que eu tentei direcionar a minha vida para fora do meu destino, eu errei. Errei feio... errei várias vezes acreditando que estaria então no rumo certo. Que a vida era minha e que cabia a mim, pegar as rédeas decisórias do que seria melhor pra minha jornada. Me ferrei... me ferrei grandiosamente, espatifando a minha empáfia no chão. Existe sim o livre arbítrio... sim, ele existe, mas nem sempre é louvável e apreciável às experiências a que ele nos conduz. Mas aí, ahhhh, aí sempre vem a conta... Não há nada que se faça nesta vida que não tenha um preço. Não existe almoço grátis, uma frase de um colega meu que se adequa perfeitamente a todas as escolhas erradas que eu fiz na vida. Ok, eu aprendi... mas demorou um pouqinho pra entender a lógica desse aprendizado, e a dor é grande, o fardo é enorme e não vale lá muito pena discordar. No momento "ando devagar, porque já tive pressa"... a vida ensina... a vida e companheira do tempo... ou se aprende no amor ou se aprende na dor, mas sempre se aprende algo. Então estou na caminhada, repetente errante da vida, mas que nunca para de estudar...

E a vida segue. 
 
 

Waltinho, amigos e família - novembro/2016

Saudade me define...



Retorno do Waltinho pra casa dele.
Foram dias memoráveis com ele aqui no Rio, 
rodeado de amor e carinho.
Deus é bom todo o tempo.
Obrigada, Senhor, por essa oportunidade!







sábado, 11 de novembro de 2017

Meu carinho e meu agradecimento a todos os meus amigos!

 Visita do meu irmãozinho à copa do meu trabalho.
Foi um dia bom.
Lembrança boa! 
novembro de 2016

Todos os dias desde que descobrimos o câncer, Dona Marly rezava o terço da Misericórdia para o meu irmão Waltinho às 15:00h. Muitas vezes, tínhamos companhia na copa e rezávamos todos juntos pela saúde do Walter. Era uma coisa boa, bonita, que sempre enchia meu coração de amor e fé. Foram tardes em companhia de Jesus e de sua Mãe, Virgem Santíssima. Quando estava atolada de trabalho, eu rezava o terço na minha mesa, quietinha enquanto trabalhava. Me sentia aquecida, um calor que vinha do céu... e depois ia lá na Copa pra agradecer e dar um abraço em quem lá estivesse com Dona Marly rezando o terço da Misericórdia. Mesmo antes de conhecer o Waltinho pessoalmente, meus amigos rezavam pela saúde dele. Foi uma corrente muito forte de amor, que eu não tenho palavras pra agradecer aos meus amigos. Mas, rezo por eles até hoje e peço que Deus também abençoe a vida deles, como abençoou a nossa. Eu sei que Waltinho não está mais aqui nesse mundo... mas também sei que ele está num mundo bemmmm melhor do que esse aqui. Ainda hoje, na Copa às 15:00h temos o terço da Misericórdia, e mesmo que eu não possa ficar devido ao trabalho a fazer, vou rezando baixinho, pego um copo de água ou um cafezinho, mas sempre que dá, eu vou lá pra juntar um pouco dessa energia e dessa fé que nos mantém próximos a Deus.
Quando Waltinho estava internado, antes de partir, meus colegas de trabalho sempre mandavam áudios de Whatsapp e mandavam mensagens de apoio e de amor. Eu agradeço à minha madrinha de Crisma, Maria Jurema, por todas as orações que ela fez por intercessão de Maria Mãe Santíssima,  Dona Marly, Seu Luis, Seu Marcos e todas as pessoas do meu trabalho. Sou muito grata e me sinto abençoada por até nos dias de hoje, 9 meses depois que Waltinho se foi, ainda rezam e lembram com carinho do meu irmãozinho. Essas orações são remédios, são bálsamos de amor que enviamos para quem está se recuperando no outro lado dessa vida. Eu sei que meu irmão expiou. Ele curou sua alma, através da doença em seu corpo. Eu sei que ele recebe minhas orações e que meu amor e minha energia chegam até ele através dos nossos Anjos da Guarda.  Nossa Senhora cuida do meu irmão. Nossa família espiritual também está cuidando dele. Iracema também está com ele. E daqui, ficamos nós, nossa mãe, nosso irmão, eu e toda nossa família e amigos de infância enviando as melhores energias para o Waltinho.

Meu carinho e meu agradecimento a todos os meus amigos!

Aprendendo com os erros.

A duras penas, aprendi que não posso querer nada que não seja meu. Lutar pelas coisas que não me pertencem, é apenas gastar energia tentando ter a posse de algo que nunca foi meu. Da mesma forma, aprendi que as coisas que então eu tenho, tampouco são minhas... as coisas também tem seu livre arbítrio e também escolhem seus "donos". As únicas coisas que realmente me pertencem, não vão atravessar comigo para o "outro plano". Coisas materiais são da matéria, e ficam por aqui. O que posso lutar, são pelas coisas que preciso para minha sobrevivência, contanto que sejam fruto do meu esforço, e do meu exímio trabalho. Não existe almoço grátis, tudo tem seu preço, e mesmo que não leve nada comigo, o que conquistei sim, é meu e ninguém tira. Meu trabalho e os frutos advindos deste, são a soma de todas as noites em que estudei, todos os dias que trabalhei e dei o melhor da minha capacidade intelectual, física e braçal. Sempre aprendendo alguma coisa... Tolo é aquele que acha que sabe tudo.

O tempo não para...
Ele serve para nos lembrar que nós também temos um prazo de validade nesta existência. Tá tudo controlado no grande computador da vida. 

Quem é sábio, corre atrás... vai aproveitando os erros pra aprender uma nova lição e não errar mais...  O inepto, perde muito tempo da sua vida recomeçando... indo para o último lugar da fila, sucessivas vezes;  até que consiga abrir seus olhos para sua verdadeira identidade: o dever de crescer e desenvolver-se, como humano e como espírito que somos todos nós.

 A vida vai ensinando e eu vou aprendendo... não dá pra lutar contra a maré... o melhor é aprender a boiar e seguir o fluxo da vida.

A vida segue seu curso...

Andreia Sieczko

 
 

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

GENTE FALSA É PHODA






falsidade
fal·si·da·de
sf


1 Qualidade ou natureza do que é falso, daquilo ou daquele que é mentiroso, enganador, apesar de parecer verdadeiro.
 
2 Coisa falsa, enganadora, ilusória; mentira, calúnia.
 
3 Atitude ou comportamento próprio de quem é falso; crocodilagem, fingimento, hipocrisia, dissimulação.
 
4 Tendência ou falha de caráter voltada para a traição; perfídia, deslealdade.
 
5 Jur Ato criminoso contra a fé pública cometido por aquele que esconde ou altera a verdade, conscientemente, com a intenção de lesar ou obter vantagem de alguém.



falsidade
substantivo feminino
1.
qualidade do que é falso; característica do que é contrário à verdade ou que dela se aproxima apenas na aparência.

Saudades de você aquiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Walter Sieczko

Walter Sieczko dos Santos
Victor Hugo Araújo dos Santos
Meus irmãos!!!
Andreia Sieczko dos Santos

Penso que não faço mais parte desse mundo.

Esta semana está sendo muito difícil, Waltinho!!!! Ano passado você estava aqui, e parecia que tudo estava tão bem, que essa doença não iria te vencer. Tantos sonhos, tantas vontades, e hoje, meu irmão, você não está mais aqui. Mas nem por isso eu deixo de te amar, te querer bem e desejar apenas o melhor de todas as coisas pra você. Família é tudo de bom! Ter irmãos é ter a certeza de um amor verdadeiro e desinteressado, que não vai acabar nunca... nem aqui, nem em outra vida.
Somos sangue, somos família, viemos da mesma fôrma de bolo e nada nem ninguém, nunca terá o poder de destituir esses laços. Eu te amo, meu irmão! Sinto sua falta todos os dias da minha vida, e daria a minha própria em troca da sua. Mas e aí? De que serviria isso? Esse mundo tão medíocre, uma vida tão incerta, tantas lutas, batalhas diárias que só cresceram ainda mais depois da descoberta do câncer. Eu acredito que a felicidade não faz parte desse mundo... Temos sim, momentos de alegrias, momentos raros de felicidade, mas no resto, muita coisa pra combater... muita contenda no dia-a-dia... a vida terrestre não é fácil nesse mundo cheio de provas e expiações. Estou cansada de tanta gente banal. Muitas vezes, eu penso que não faço mais parte desse mundo... mas a minha missão aqui ainda não acabou. Ainda tenho demandas a tratar... problemas à resolver e ainda a obrigação de encontrar um traço de  felicidade que me faça sorrir mesmo em dias de tempestade!
No momento, eu só tenho as lembranças... todas as lembranças que eu puder ter, vou registrar, numa forma de eternizar não apenas na memória e no meu coração; mas que na minha falta, o mundo saiba do amor infinito que uma irmã sente pelo seu caçula. Te amo, Waltinho!  Esteja na Paz do Senhor!

Viagem Andreia e Waltinho - 10-11 novembro 2016 - São Paulo


Então, meu irmãozinho, nem dá pra acreditar que já fez 1 ano da sua última visita ao Rio de Janeiro para estar com toda sua família. Foram dias bons, apesar da tristeza pela sua doença. Mas você estava tão feliz em rever seus tios, a família toda e seus amigos, que por muitos momentos, nem lembramos da fragilidade da sua saúde e nos divertimos bastante. Foram dias de muito abraço, muita conversa, muitas brincadeiras, piadas, causos da época do quartel, muita zoação com nosso irmão caçula Victor... Nossa, foi tão bom ter tido esse tempo contigo. Poder cuidar de você, eu, mamãe, suas tias, os encontros com os amigos de infância. Ahhhh, meu irmão, eu tenho muito a agradecer a Deus por essa oportunidade.

Você então pediu para viajar à São Paulo, pra escutar uma outra opinião médica, além do médico oncologista que mamãe te levou em Copacabana. Claro que cada notícia era um soco na boca do estômago, mas você, Waltinho, sempre esteve otimista e tinha uma fé enorme na sua cura. Então eu pedi dispensa no trabalho - agradeço demais ao meu chefe e à empresa em que trabalho, pois sempre me auxiliaram durante o seu tratamento. Eu só tenho a agradecer a Deus pelas pessoas que entenderam o momento difícil que estávamos passando e eu sempre me dediquei com afinco ao meu trabalho para que não deixasse trabalho sem fazer e perder os prazos, pois preciso muito do meu trabalho. Enfim, sou sua irmã, te amo, claro que te levo à São Paulo, meu irmão. Sempre fiz e farei tudo o que tiver ao meu alcance por você, meu irmão, meu tesouro, minha melhor parte... claro que te levo à São Paulo!!! E assim fomos... na ida, fomos de avião, porque a ponte-aérea estava com boa tarifa... Mas a volta, tivemos que voltar de ônibus leito, porque os valores das passagens estavam muito fora do meu orçamento. 

Fiz reserva num hotel próximo ao local da consulta, e tivemos mais oportunidades para conversar, colocar muitos papos em dia, ver televisão juntos, como quando éramos crianças, e dividimos o mesmo quarto também igualzinho quando éramos pequenos: você no seu berço-cama, e eu na minha caminha, no quarto com desenhos nas paredes feitos por nossa mãe. Do lado da sua cama, tinha a Sininho do Peter Pan que você adorava e outro desenho da Margarida e Pato Donald dando uma florzinha pra ela... e tinha também o desenho do Príncipe da Cinderela, que mamãe fez pra mim, desenhado e pintado por ela em nosso quartinho.




Tivemos tempo para falarmos das nossas vidas, nossos erros e acertos nesse mundo de provas e expiações. Conversamos até cairmos de sono, mas antes, você rezou junto comigo e foi um momento maravilhoso, que vou guardar pra sempre no meu coração. Você é um menino bom, Waltinho... Gosta de se mostrar forte, austero, mas é um menino bondoso com um coração de manteiga. Falando em manteiga, no dia seguinte, tomamos café, você gostou de comer coisinhas diferentes, tomou café com leite, pão, queijo minas, frutas... e fomos ao médico. Nosso retorno, apesar das horas de estrada foi bem legal, viemos conversando a maior parte do tempo e contando piadas e falando sobre coisas da nossa infância. Em determinado momento, cansamos de falar, você pegou minha pashmina e a enrolou na sua cabeça, pra ficar escurinho e assim, tapar a claridade nos olhos. Eu encostei no seu ombro, e rezei olhando a paisagem da estrada, pensando como Deus era perfeito em tudo, e se estávamos passando por aqueles momentos, era porque deveria haver alguma razão, embora a compreensão não se faça muito clara nesta hora... Eu amo a Deus, e confio que tudo nesta vida tem um porquê. Acabei cochilando, com a cabeça deitada em seu ombro e agarrada no seu bracinho fino e machucado de tanta insulina... Eu não queria pensar no futuro, porque eu tinha medo de não ter mais o seu ombro amigo, seu abraço de irmão pra me amparar nesta vida. Muitas vezes eu parava até de pensar, porque meus pensamentos se direcionavam para uma realidade que eu não queria que chegasse nunca. Eu te amo, meu irmão! Você é muito importante na minha vida e o amor que tenho por ti, é imensurável e infinito. Nunca vou esquecer de todos os momentos que tive com você, Waltinho. Meu irmão, meu primeiro amigo, minha maior herança e a melhor parte de mim.









quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Fica Comigo, Senhor - Padre Pio


Fica Senhor comigo, preciso da Tua presença para não te ofender.
Sabes quão facilmente sou fraco e te abandono preciso de Ti para
Não cair.

Fica Senhor comigo, se queres que eu Te seja fiel. Seja-me aquele
abrigo pois embora minh'alma, muito pobrezinha, deseja ser pra Ti
Lugar de consolação, carinho e adoração. Um ninho de amor então
quietude e profunda oração.

Não peço o que não mereço, mas tua presença ó Deus quero ter.
Fica Senhor comigo, para que eu ouça a Tua voz...

Fica Senhor comigo, fica meu grande amigo

Não peço o que não mereço, mas tua presença ó Deus quero ter.
Fica Senhor comigo, para que eu ouça a Tua voz...

Tu és minha luz, sem Ti ando nas trevas...
Fica Senhor, para me dar a conhecer a Tua vontade.

Fica Senhor comigo, fica meu grande amigo.
Minh'alma é tão pobrezinha, seja meu único abrigo.
Quero sua companhia, muito preciso ouvir-te Senhor,
Tanto desejo amar-te, fica meu grande amor.


 

Família é tudo de bom!!!!!!







terça-feira, 7 de novembro de 2017

Waltinho - novembro 2016 - família & amigos

Foi muito bom ter tido essa oportunidade de estar alguns dias contigo, meu irmão!!!!

Foram dias bons, que eu nunca irei me esquecer.

Você estava muito feliz por estar de volta a nossa família e poder rever os amigos da nossa infância. Foram muitas histórias, muitas risadas, muitas piadas, muita zoação. Eu só tenho a agradecer a Deus por esse presente.

Te amo sempre e pra sempre, 
sua irmã mais velha, Andreia