quarta-feira, 23 de junho de 2010

Fogo


O calor que queima meu corpo é o mesmo que deixastes nos rastros do lençol que, embebido em prazer, fez-se nosso manto. O fogo que mantém meu peito em chamas é o mesmo que te faz acordar na madrugada fria chamando meu nome. A brasa ardente, indecente, incandescente viva pulsa latente em nossos corações, abrasando o sentimento que faz a vida ter todo sentido. E essa luz que vem do fogo, jamais se apagará.

Um comentário:

  1. FIM DE TARDE
    DEPOIS DO TROVÃO
    O SILÊNCIO É MAIOR

    ResponderExcluir

Deixe aqui sua mensagem